Atletas do Beach Tennis estão de olho no bicampeonato no XIII Jogos FENACEF

Na edição deste ano, Curitiba será a sede dos Jogos da FENACEF, que acontecem de 20 a 27 de maio, no Santa Mônica Clube de Campo, um dos maiores clubes da América Latina. E a AGEA tem dois bons motivos para buscar a medalha de ouro e trazer o bicampeonato no Beach Tennis para casa. Os atletas Paulo Nergi e Cassio Gadonski já estão treinando intensamente e esperam uma disputa mais competitiva. Há menos de dois meses para começarem os Jogos Fenacef, a AGEA inicia com o time do Beach Tennis, uma série de entrevistas com atletas de várias modalidades […]

Última Atualização: 28/03/2024

Atletas do Beach Tennis estão de olho no bicampeonato no XIII Jogos FENACEF

Na edição deste ano, Curitiba será a sede dos Jogos da FENACEF, que acontecem de 20 a 27 de maio, no Santa Mônica Clube de Campo, um dos maiores clubes da América Latina. E a AGEA tem dois bons motivos para buscar a medalha de ouro e trazer o bicampeonato no Beach Tennis para casa. Os atletas Paulo Nergi e Cassio Gadonski já estão treinando intensamente e esperam uma disputa mais competitiva.

Há menos de dois meses para começarem os Jogos Fenacef, a AGEA inicia com o time do Beach Tennis, uma série de entrevistas com atletas de várias modalidades que vão representar a Associação em Curitiba. Paulo Nergi foi o entrevistado desta primeira reportagem e nos conta um pouco mais sobre suas expectativas, a rotina de treinamentos e como está a preparação da dupla.

Esse é o segundo ano da modalidade de Beach Tennis no Jogos Fenacef. Em 2023, na edição realizada no Rio de Janeiro, os aposentados Paulo e Cassio formaram a primeira dupla que competiu representando a AGEA na cidade maravilhosa e conseguiram ganhar a medalha de ouro.

Paulo Nergi conta que algumas mudanças realizadas são positivas e aumentam ainda mais as expectativas dos competidores, pois a disputa acontecerá dentro das novas regras. “Esperamos uma edição mais competitiva este ano, devido às mudanças no regulamento. Além de jogos para disputa de masculino e feminino, também acontecerão jogos de dupla mista. Poderemos ver três homens e três mulheres competindo. Com isso, esperamos ver mais equipes e mais atletas participando”, destacou Paulo.

O jogador ainda mencionou o fato de que houve uma segunda alteração referente aos sets em quadra, o que ele acredita que vai trazer mais benefícios e oportunidades para os atletas.

“Vou explicar a diferença para quem não pratica Tênis ou Beach Tennis: no Rio, em 2023, houve apenas um set, com seis games. Quem ganhava, passava para outra fase. O outro era eliminado. Agora, em Curitiba, serão três sets, de quatro games cada um. Precisa vencer dois sets dos três para passar de fase. Assim, competiremos com o mesmo padrão de torneios. Isso acaba permitindo que os atletas atuem podendo se recuperar em quadra, num determinado momento que não estejam tão bem e se recuperem para a próxima etapa”, explicou Nergi.

Paulo destaca que cada edição dos Jogos FENACEF é uma oportunidade única de competir, comemorar e rever os antigos colegas e fazer novas amizades, pois se realiza um grande reencontro de pessoas com o mesmo objetivo: praticar esporte e ter mais qualidade de vida.

“No Rio tinha duas mil pessoas. Vamos ver como será em Curitiba. É um momento marcante, de diversão, para rever e confraternizar com amigos, fazer novos, sair, distrair, competir, se reencontrar, além de poder exercitar toda a parte aeróbica e realizar movimentos que dão condição de estar bem e com a saúde em dia”, enfatizou Paulo.

Sobre a preparação para as competições e a rotina de treinamentos Paulo conta que, agora que falta pouco tempo, eles já estão sendo realizados de forma particular e livre, em praças ou em clubes, mas que em breve os atletas estarão treinando diariamente, intensificando assim os treinos para adquirirem conjunto. “Por hora, estamos treinando individualmente, os jogos em conjunto começam nos próximos dias. Serão quase dois meses de treinamento intensivo”, disse Nergi.

No que se refere às preocupações com as diferenças climáticas, por exemplo, Paulo mencionou o fato de Curitiba ser uma cidade que possui um clima mais ameno no mês de maio. E, também, que as disputas de Beach Tennis ainda possuem um ponto positivo para os atletas, pois é uma atividade que pode ser realizada tanto em local aberto quanto em ambiente fechado.

“Claro que temos que tomar determinados cuidados, prevenir lesões, nos adequar ao tipo de quadra, buscar ter mais preparo, fôlego e energia conforme o clima e o ambiente da competição. Mas, agora, com a oportunidade de irem três atletas é bom, pois temos a condição de ter um colega para cobrir. Assim, caso alguém tenha uma lesão ou uma torção, por exemplo, um colega pode cobrir o outro e ninguém precisa deixar de competir”, assegurou.

Imagem: Anderson Lers

Outra preocupação do jogador é com a preparação prévia para a competição: “. O Beach Tennis é um jogo de muita concentração; se conversa muito e se tem muito diálogo e discussões nos treinos. Tratamos sobre posicionamento em quadra, observação dos adversários, ações da dupla, aspectos táticos, estratégias etc. Até pelo fato de que se um sai do jogo, já é o suficiente para atrapalhar”, declarou Paulo.

Paulo acredita que o XIII Jogos FENACEF será uma passagem para uma nova etapa nas competições, pois esta edição dará chance de participação para mais atletas em algumas modalidades, como é o caso do Beach Tennis.

“No ano passado tivemos a vitória. Mas, também sabemos que muitos atletas não puderam participar. Faltaram equipes. Este ano creio que vai ter um nível competitivo maior com essas mudanças regulamentares, pois com mais atletas participando, mesmo que venhamos a perder as disputas, teremos a oportunidade de crescer como atletas, fazer novos amigos, conhecer pessoas de outros estados do país, com culturas diferentes. Faremos um intercâmbio cultural e esportivo, com um nível maior e mais exigente”, reforçou.

Para fechar a entrevista, ao ser perguntado sobre as expectativas, Nergi demonstrou que a dupla está confiante e aproveitou para fazer um alerta para os outros atletas.

Imagem: Anderson Lers

“É preciso harmonia para ter um bom resultado. Se não tiver isso, você tem muita chance de perder para as outras duplas. Esperamos o bicampeonato, é claro, mas, acima de tudo, uma competição exigente que ajude o crescimento do esporte. E o Beach Tennis é um esporte muito adequando para a o pessoal da nossa faixa etária. Não tem limitação e favorece a socialização, a integração entre os atletas.” finalizou Paulo.

O XIII Jogos FENACEF vem aí! Quer ver mais entrevistas com nossos atletas? Acompanhe as atualizações no site da AGEA e não deixe de acompanhar as novidades em nossas redes sociais.

Veja também

AGEA-RS
Olá, tudo bem? Somos do canal de atendimento online da AGEA-RS. Vamos te responder o mais breve possível. Enquanto isso, como podemos te ajudar?